10 Melhores Coisas para Fazer em Varsóvia (Polônia)


Não é hipérbole dizer que Varsóvia é uma cidade que se ergueu dos escombros. Em 1945, 85% da cidade foi irremediavelmente destruída. Mas agora era possível andar pelas ruas da Cidade Velha sem compreender a carnificina que ocorreu durante a invasão alemã de 1939, o Levante do Gueto de Varsóvia de 1943 e o Levante geral de Varsóvia um ano depois.

O impacto humano é mais difícil de reparar, e Varsóvia tem museus e monumentos que dão relatos inflexíveis de um dos períodos mais sombrios da história europeia. Mas também há memórias do esplendor da Comunidade Polaco-Lituana da Primeira Idade Moderna, quando Varsóvia foi a capital do maior império da Europa. Para vê-la, tome a Rota Real, que percorre propriedades reais como Łazienki Park, um pequeno mundo de palácios e pavilhões no meio da cidade.

Vamos explorar as melhores coisas para fazer em Varsóvia:

1. Old Town

Old Town, VarsóviaQuando você visita um centro histórico da cidade, você normalmente está em busca de arquitetura e monumentos genuínos e intocáveis.

Mas depois das experiências de Varsóvia no século XX, a magia deste bairro está na reconstrução detalhada e fiel realizada até 1962. Depois de quase nove décimos da cidade ter sido dizimada, o renascimento da Cidade Velha foi um feito incrível que lhe valeu o estatuto de Património Mundial da UNESCO.

Ao escolher o seu caminho por becos e passagens, passando por guildwalls, igrejas e casas de burgueses, você nunca imaginaria que tudo isso foi apenas um monte de escombros 70 anos atrás.

Um par de vistas que ainda não incluímos na lista abaixo são a Praça Canon, uma praça triangular cercada por cortiços que outrora abrigava cânones do Capítulo de Varsóvia, e a Catedral de São João, que abriga o túmulo de Stanisław II Augusto, o último Rei da Polónia.

2. Royal Route

Royal Route, Varsóvia

Acontece que quase todos os marcos históricos de Varsóvia estão em um único eixo, começando na Praça do Castelo e continuando para o sul por cerca de 15 quilômetros antes de chegar ao Palácio de Wilanów.

Nesta linha estão igrejas, parques, palácios, instituições acadêmicas e casas de pelúcia.

As três residências que dão à rota o seu título “real” são o Castelo Real no topo, Łazienki Palace no seu impressionante parque epónimo, e Wilanów Palace no extremo sul.

Todas as três são absolutamente essenciais, ressonando com a riqueza e o poder da Comunidade Polaco-Lituana da Renascença e Barroca.

3. Parque Łazienki

Parque Łazienki, Varsóvia

O maior parque de Varsóvia é uma âncora na Rota Real e é uma excursão de eleição para famílias e casais no fim-de-semana.

O parque começou como os banhos reais (Łazienki traduzido como “banhos”) e foi enriquecido no século XVIII por um grande plano durante o reinado do rei Stanisław II Augusto.

Nestes 76 hectares frondosos encontram-se palácios, pavilhões, duas laranjeiras, um anfiteatro, um planetário, loucuras, calçadões, elementos aquáticos e monumentos de pé nacional.

Saltando de uma villa para a outra, maravilhando-se com o sumptuoso Palácio Łazienki, a olear em torno de quatro museus ou simplesmente a relaxar no verde; um dia inteiro poderia flutuar por aqui em pouco tempo.

Talvez o mais prestigiado dos monumentos seja para o compositor Frédéric Chopin, desenhado em 1907 no estilo Art Nouveau, mas atrasado pela Primeira Guerra Mundial e erguido em 1926.

4. Old Town Market Place

Old Town Market Place, VarsóviaAté à criação de Stanisław II Cidade Nova de Augusto no final do século XVIII, esta praça foi o epicentro da vida comercial em Varsóvia.

É a parte mais histórica da Cidade Velha e está envolvida por altas casas de comerciantes renascentistas e barrocos, num espectro de cores.

Todos estes edifícios são réplicas do que veio antes, pois a praça foi primeiro bombardeada pela Luftwaffe e depois explodida pelos alemães no final da revolta de Varsóvia, em 1944. Imediatamente após a guerra, a praça foi reconstruída como tinha sido, incluindo as bizarras mas encantadoras extensões verticais que tapam algumas das casas.

A figura da sereia na fonte do centro tem um significado especial para Varsóvia, enquanto no verão você pode estacionar em uma mesa de restaurante e ver a cidade passar o seu dia.

5. POLIN Museu de História dos Judeus Poloneses

POLIN Museu de História dos Judeus PolonesesSete anos em construção, este museu foi totalmente inaugurado em 2014 e documenta a história milenar dos judeus na Polónia.

POLIN está na parte norte do antigo gueto de Varsóvia, em Muranów, e foi projetado pelo arquiteto finlandês Rainer Mahlamäki.

Em oito galerias, a exposição principal utiliza uma mistura de artefatos genuínos, reconstruções e exposições interativas para explicar como a Polônia se tornou o lar da maior comunidade judaica da Europa.

Você pode ver um livro de orações de 1272 com uma frase inicial escrita em iídiche e descobrir sobre a idade de ouro da tolerância religiosa nos séculos 16 e 17.

Mais tarde vem o Holocausto, e no pessimismo estão histórias sobre os esforços heróicos do grupo Oyneg Shabbos para arquivar a verdade sobre o gueto de Varsóvia.

6. Castelo Real

Castelo Real de VarsóviaNa entrada sul da Cidade Velha você será recebido pela fachada de 90 metros do castelo maneirista e barroco, a sede dos monarcas poloneses por centenas de anos.

O castelo passou por um movimentado 700 anos envolvendo duas demolições, uma pelos suecos em meados do século XVII e outra pelos alemães na Segunda Guerra Mundial.

Desde a última reconstrução, nos anos 80, o castelo tem sido um museu, onde se pode ver os apartamentos do rei Sigismundo II Augusto, do século XVI, e visitar a Casa do Parlamento, a fonte da democracia polaca e onde as alterações feitas à constituição polaco-lituana deram origem a uma tolerância religiosa sem precedentes.

Há também uma colecção de quadros dos séculos XVI a XVIII, de mestres como Rembrandt, van Dyck, Joos van Cleve e Gainsborough.

7. Praça do Castelo

Praça do Castelo, VarsoviaQuando a capital da Polónia se mudou de Cracóvia para Varsóvia em 1596, a praça ao lado do castelo tornou-se a pedra angular do maior império da Europa renascentista.

O homem que provocou esta mudança foi Sigismundo III Vasa, que é comemorado por uma estátua de bronze no topo de uma coluna de 8,5 metros de altura.

Esta foi levantada pela primeira vez em 1644, mas foi derrubada pelos alemães em 1944 e seu mármore vermelho original foi substituído por granito.

Ainda existem fragmentos da coluna de mármore junto às paredes do castelo.

Alguns acontecimentos que abalaram a Polónia tiveram aqui lugar, como um motim sangrento durante o período da Lei Marcial em 1982, um massacre dos russos durante uma revolta em 1861 e um discurso de Bill Clinton dando as boas-vindas à Polónia na OTAN em 1997. Quer se trate de um comício ou de um concerto, muitas vezes há algo a acontecer na Praça do Castelo no Verão.

8. Museu da Revolta de Varsóvia

Museu da Revolta de VarsóviaEste museu da Revolta de Varsóvia de Agosto a Outubro de 1944 encontra-se na antiga central eléctrica de eléctrico convertida no distrito de Wola.

Ao entrar pode utilizar os receptores telefónicos pré-guerra para ouvir as memórias dos participantes na revolta.

Entre as muitas instalações inteligentes está o Paládio Kino, um cinema que mostra as filmagens recolhidas pelos rebeldes e exibidas no Paládio de Varsóvia durante a revolta

Há também réplicas dos esgotos que os combatentes usavam para se deslocar, enquanto fotografias “antes e depois” da cidade trazem para casa a impiedade da reação alemã.

9. Centro de Ciências Copérnico

Centro de Ciências Copérnico, VarsóviaO principal museu de ciência da Polónia abriu em 2010 e tem mais de 400 exposições interactivas em seis zonas, cada uma delas abordando um campo diferente, desde as Raízes da Civilização até à Zona Luminosa, investigando a natureza da luz.

O Mundo em Movimento, por exemplo, tem um simulador de terremoto para experimentar, bem como um modelo em movimento que mostra um esqueleto humano em uma bicicleta.

Na zona Humanas e Meio Ambiente você pode descobrir sobre ecossistemas urbanos, tecnologia de contrução.

Há também webcams com imagens radiantes diretamente de um ninho de falcões no Palácio da Cultura e da Ciência, e o recinto do gorila no Zoológico de Varsóvia.

O centro também tem um planetário de última geração com um sistema de som 3D, exibições de filmes sobre o cosmos, mas também sobre a natureza e as culturas humanas.

10. Palácio da Cultura e da Ciência

Palácio da Cultura e Ciência, VarsóviaQualquer que seja a sua opinião sobre este enorme edifício, ele está praticamente sempre presente em Varsóvia.

Com 237 metros, o Palácio da Cultura e da Ciência é o edifício mais alto da Polónia, e nos seus 42 andares encontram-se quatro teatros, um cinema com várias salas, dois museus, o Palácio de Congressos com 3.000 lugares, gabinetes governamentais, instituições académicas e empresas privadas.

Tomando como referência os arranha-céus Art Deco e o historicismo polaco, este imenso complexo estalinista foi um “presente da União Soviética para o povo polaco” em 1955, e essa é apenas uma das razões que evoca sentimentos mistos.

Se um evento internacional está acontecendo em Varsóvia, há uma boa chance de acontecer na sala do Congresso, enquanto há um terraço de observação no 30º andar aberto das 10:00 às 20:00 para o panorama definitivo da cidade.


Like it? Share with your friends!

Pacote Turismo

No Pacote Turismo vai encontrar dicas, recomendações e muito mais sobre viagens, destinos turísticos, e outros temas relacionados.

Send this to a friend